Bem Vindo à Guitanda!

Violão Louzao 2008 SP/BR (Desconto de R$ 1.200,00 à vista*)

Seja o primeiro a comentar este produto

Disponibilidade: Em estoque

De: R$8.000,00

Por: R$7.300,00

Violão Louzao 2008 SP/BR (Desconto de R$ 1.200,00 à vista*) está disponível apenas em quantidades multiplas de 1

Descrição Rápida

Ricardo Louzao 2008 - Usado
Violão Clássico

Condição: estrutural (5/5), estética (4/5)
Tampo: Abeto (maciço)
Fundo e laterais: Jacarandá Baiano (maciço)
Braço: Cedro Brasileiro, ajustável com parafuso
Escala: Ébano, elevada, 20 trastes
Formato do braço: “D”
Acabamento: Poliuretano corpo; Nitrocelulose tampo
Rastilho e pestana: Osso (rastilho)/Ébano (pestana)
Cordas: clássicas (nylon, carbono, similares)
Comprimento de corda: 650 mm
Espaçamento de cordas pestana/rastilho: 44/57 mm
Tarraxas: Schaller
Tensor: Tirante de ébano
Estojo: Bag de tecido (incluso)

*Selecione a opção "À vista: depósito, cheque, dinheiro" ao finalizar a compra, e o desconto será aplicado antes da confirmação de fechamento do pedido 

Diagonal

Duplo clique na imagem acima para visualizá-la maior

Reduzir
Aumentar

Mais Visualizações

  • Frente
  • Diagonal
  • Lateral
  • Fundo
  • Diagonal fundo
  • Mão: frente
  • Tarraxas Schaller
  • Mão: costas
  • Roseta e cavalete
  • Detalhe: roseta e filetação
  • Armrest
  • Detalhe: escala elevada
  • Bag
  • Selo

* Campos Requeridos

De: R$8.000,00

Por: R$7.300,00

Detalhes

Violão Clássico Ricardo Louzao 2008 SP/BR:
  
O luthier argentino Ricardo Louzao é o nome mais famoso da luteria platina no século 21. Seu trabalho segue uma linha de construção diversificada típica da nova escola argentina, da qual ele é um dos precursores, com mistura de conceitos tradicionals e modernos (principalmente com influência de idéias da escola australiana). Possui um trabalho caracterizado por potência, sonoridade encorpada e presente, boa presença de médios e graves. Sua filosofia é manter as virtudes do violão, como timbre e colorido, mas buscando resolver suas deficiências, avançando rumo a um violão moderno.
  
Este exemplar,do modelo Contemporâneo do luthier, é um exemplo quintessencial  nova luteria platina. Possui fundo abaulado estilo violoncello, braço parafusado ajustável (girando-se com uma chave no orificio na escala, muda-se o ângulo do braço e a altura das cordas), estrutura em treliça com fibra de carbono. As madeiras são de boa idade, com o tampo de um abeto (pinho) de veios paralelos e coloração amarelada, e fundo e laterais de um jacarandá baiano de muita beleza, com corte semi radial e presença de brancal para gerar um destaque estético. A escala, de ébano, é elevada com 20 casas, e o braço de cedro brasileiro possu um tirante de ébano para garantir a estabilidade.
 
A sonoridade possui detalhes muito peculiares, com um timbre encorpado, grave, com boa presença de frequências graves e médias. Mas, longe de ser opaco, possui brilho e nitidez, com sonoridade aberta. É um timbre com densidade nos médios, o que pode tornar a sonoridade levemente nasal, mas que também possui ponta e definição. O ataque é semi pronunciado, com um decaimento lento e bom sustain, deixando o violão sonoro, com som pianístico. Esse ataque nítido e massa sonora se sustentando depois do ataque traz articulação, com boas possibilidades rítmicas, e também boas possibilidades melódicas pela sustentação. 
  
O equilíbrio é bom. Com a estrutura em treliça, em que as varetas do tampo se entrecruzam, as frequências e ressonâncias ficam sob controle, com todas as notas soando bem consistentes umas com as outras. Possui bom equilibrio vertical, entre cordas, com um pequeno favorecimento aos graves, mas sem encobrir as primas. Os graves são presentes com corpo e percussão. As primas são projetadas e fundamentais, com foco e corpo. Todas as cordas possuem definição, brilho e um nivel proporcional de resposta. No aspecto horizontal, o equilíbrio é bom. Todas as posições soam com consistência, tanto na potencia como na sustentação. O fato de não haver sobra de harmônicos ajuda a não gerar notas do lobo, que soam mais que as outras. 
 
O volume é ótimo. Há massa sonora o suficiente para gerar impacto, com presença e som cheio. A projeção é boa, com nitidez na distância, e mesmo os graves e médios viajam bem. A boa separação de notas e vozes pode ser explicada pela boa articulação e pelo fato de não haver embolamento de harmônicos. A resposta dinâmica é muito boa. Ele aguenta razoavelmente bem toques potentes e pancadas mais rítmicas de mão direita, gerando uma sonoridade forte e percussiva, no estilo da música platina, e produz pianos encorpados, com bom controle na variação entre os extremos. 
  
A resposta tímbrica tende mais à uniformidade. É claro, há harmonicos ao se tocar as notas e se pode manipulá-los para uma pequena palheta de variação de timbre entre doce e metálico. Porém o instrumento realmente foi feito para soar uniformemente, propiciando grande facilidade de controle tímbrico e consistência em melodias e frases. 
  
A tocabilidade é razoável. O braço é arredondado nas laterais e reto na parte de trás, permitindo bom apoio de polegar. É um formato de D, com espessura média. A escala elevada permtite mais liberdade para notas sobreagudas, e a boa relação de tensão e ataque gera uma sensação firme e responsiva à mão direita. O armrest (apoio de braço) gera conforto pro antebraço direito, e poupa o tampo do contato com o braço direito do intérprete, liberando ainda mais a sonoridade. O espaçamento de 44 mm da pestana é um pouco mais largo que o padrão, o que pode ajudar quem tem dedos mais grossos mas pode causar desconforto em pessoas com mãos pequenas.
 
O verniz utilizado é poliuretano no corpo, e nitrocelulose no tampo. O poliuretano é um verniz bastante utiizado em luteria, cuja vantagem é a praticidade, sendo bem resistente à riscos, ao desgaste pelo suor e outros tipos de dano. A nitrocelulose propricia um pouco menos de proteção, mas permite mais sonoridade e por isso foi aplicada no tampo. O acabamento como um todo transmite modernidade mas com certa sobriedade. A modernidade pela escala elevada, braço ajustável, armrest e fundo abaulado. A sobriedade pela economia nos filetes, e roseta em tons marrons. As madeiras do fundo e lateral dão um toque diferenciado no aspecto visual.
 
Inclui Bag Kover, fornecida pelo próprio luthier, e tarraxas alemãs Schaller.
 
Conservação:
- estrutural: 5/5. Excelente estado, é um violão como novo, muito robusto.
- estética: 4/5. Muito bom estado, com bem poucas marcas de unha no tampo somente. Aenas o verniz aparenta certa opacidade pelo tempo.
  
Resumo:
  
Pontos fortes: Potência e projeção. Uniformidade que propicia consistencia.
  
Pontos fracos: Não possui grande gama de variação de colorido tímbrico. Timbre grave-médio pode desagradar que busca sonoridade mais brilhante e cristalina. Tocabilidade poderia ser melhor.
  
Conclusão: É um instrumento muito funcional, com potência, bom timbre básico, graves profundos e fácil de produzir uma sonoridade consistente. Recomendado para quem busca um violão para projetar em palco, e soar encorpado em todas as situações. Repertório romântico, popular, e música mais impactante que exija bom desempenho em toques agressivos são exemplos do que funciona bem no instrumento. Também é muito bom para música popular instrumental. Música rítmica, música brasileira, valsas, choros, enfim, tudo que necessite de um som que mistura os acordes sem embolar, que dá boa definição rítmica e apresente calor, equilibrio e nitidez. 

Informações Adicionais

Especificações Não

Tags do Produto

Utilize espaços para separar tags. Utilize aspas simples (') para frases.